Aumenta o número de MEIs formalizados em Colatina

Em Colatina o número de empreendedores individuais aumentou nos últimos seis meses. De dezembro de 2014 a junho de 2015 foram mais de 690 formalizações.

Em Colatina o número de empreendedores individuais aumentou nos últimos seis meses. De dezembro de 2014 a junho de 2015 foram mais de 690 formalizações. Apesar de dados negativos nos pequenos negócios, o número de formalizações continua constante.

De acordo com dados do Sebrae – ES, o Estado  registrou em fevereiro de 2015 o terceiro pior resultado dos últimos 12 meses em relação à geração de emprego por micro e pequenas empresas. Apesar de alguns pontos negativos, o número de formalização de Microempreendedores Individuais (MEI) continua alto. Em 2015, uma média de 75 empreendedores se formalizaram por dia. Em Colatina em seis meses foram mais de 690 novas empresas.

Atualmente existem mais de 133 mil Microempreendedores Individuais formalizados no Espírito Santo, segundo dados da Receita Federal. Em 2013 o número registrado era de 95.023, um aumento de 40% no período.

Segundo o superintendente do Sebrae ES, José Eugênio Vieira, a criação desta categoria foi uma vitória para os empreendedores. “A partir de julho de 2009 os profissionais que trabalhavam por conta própria vendendo churrasquinho, água de coco, que tinham seu salão de beleza, sua loja, puderam se formalizar e por consequência passaram a ter seus direitos e deveres como cidadão trabalhador”, afirma.

A categoria de Microempreendedor Individual foi criada em 2009, com o objetivo de reduzir a informalidade dos profissionais no Brasil. É um programa de formalização e inclusão econômica e social que atende a pequenos empreendedores de forma simplificada, descomplicada e com redução de carga tributária.

O MEI tornou-se importante para a economia do país, não só por ser mais uma porta de entrada para a legalização de diversos empreendimentos, mas por ampliar a arrecadação fiscal e previdenciária. Mesmo neste período de crise a formalização de empreendedores nesta categoria é crescente.

Compartilhe esta notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Comente