Pesquisa aponta que medo do desemprego em 2016 foi mais alto que em dezembro de 2015

A pesquisa foi recentemente divulgada pela Confederação Nacional da Indústria - CNI
A Confederação Nacional da Indústria – CNI, divulgou em dezembro de 2016, a pesquisa com o Índice de Medo do Desemprego, que apresentou crescimento de 3,6 pontos no final de 2016.
 
O aumento no fim do ano compensou a queda verificada em setembro e fez com que o índice encerrasse o ano acima do verificado em dezembro de 2015, o que indica que o brasileiro permanece receoso em relação à situação no mercado de trabalho.
 
O Índice de Satisfação com a Vida, por sua vez, permaneceu praticamente estável em dezembro, com retração de 0,2 ponto em relação a setembro.
 
Com isso, o índice encerrou o ano com crescimento de 0,9 pontos em relação a dezembro de 2015.
 
A região Sul é a única a apresentar retração no Índice de Medo do Desemprego: passou de 63,2 em dezembro de 2015 para 57,8 em dezembro de 2016, uma queda de 5,4 pontos.
 
A melhoria nas expectativas também se re?ete no Índice de Satisfação com a Vida, que apresentou o maior aumento entre as regiões brasileiras: 4,4 pontos entre dezembro de 2015
e dezembro de 2016.
 
A região Nordeste, por outro lado, apresentou forte deterioração dos indicadores no mesmo
período. O índice de Medo do Desemprego da região aumentou 11,3 pontos entre dezembro
de 2015 e o mesmo mês de 2016, passando de 58,7 para 70,0 pontos. O crescimento levou o medo do desemprego no Nordeste a ser o mais alto entre as regiões do país no final de 2016. A deterioração nas expectativas da região também pode ser verificada no Índice de Satisfação com a Vida, que caiu 1,4 pontos entre dezembro de 2015 e dezembro de 2016. A região Nordeste foi a única a apresentar retração na satisfação com a vida no período.
 
 
Com informações da Confederação Nacional da Indústria e do Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo – IDEIES.
 

Compartilhe esta notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Comente